Tecnologia móvel como apoio ao diagnóstico da Tuberculose na infância

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Maria Eugênia de Camargo Julio
Alexandra Monteiro
Mônica de Cássia Firmida
Diego Rodrigues Tavares
Ana Josiele Ferreira Coutinho

Resumo

Introdução: Tecnologias móveis têm sido cada vez mais utilizadas como meio de apoio à educação médica. Em contrafluxo à inovação tecnológica, o diagnóstico da tuberculose na criança ainda é um problema de saúde pública, sobretudo pelas formas de apresentação pouco específicas da doença e pela impossibilidade, na maioria das vezes, de comprová-la bacteriologicamente na infância. Nessa visão, estão inseridas as tecnologias móveis como os Sistemas de Apoio à Decisão (SAD), definidos como capazes de promover acesso rápido à informação, assim como a automação de processos, no caso da saúde como apoio à tomada de decisão frente a um problema. Objetivo: Este artigo tem como objetivo descrever o desenvolvimento de um SAD, disponibilizada no formato aplicativo, para automatização do cálculo da pontuação para o Diagnóstico da Tuberculose na Criança, baseado nos critérios do Ministério da Saúde. Método: Várias etapas percorridas: Busca no Play Store e Apple Store de aplicações sobre Tuberculose; Validação de conceitos usados para o desenvolvimento de SAD; Desenvolvimento de ferramentas com provas e correções. Resultados: Foram encontradas 42 aplicações em Tuberculose. Dessas, 28 trazem informações gerais, 11 não dirigem à patologia, 4 são jogos, 3 Tuberculose multirresistente e 1 tratamentos alternativos. Foi desenvolvida uma SAD para Tuberculose na infância. Além desse tópico principal, outras sessões serão disponibilizadas, como casos clínicos ilustrativos, que auxiliam o profissional a reconhecer sinais e sintomas que alertam para a suspeita de tuberculose; imagens radiológicas, que permitem que o usuário reconheça as alterações comuns no paciente pediátrico; e mapa de georreferenciamento, destacando localidades com os maiores casos registradas. Conclusão: Com a criação do SAD espera-se ampliar o diagnóstico de Tuberculose.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Seção
Artigos
Biografia do Autor

Maria Eugênia de Camargo Julio, Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ)

Mestre; Médica; Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Contato: meugeniacj@hotmail.com; Rua Amapá; 11; Vila do Abraão; Abraão; CEP: 23968-000; Rio de Janeiro; Rio de Janeiro; Brasil.

Alexandra Monteiro, Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ)

Doutorado; Médica; Professora Associada; Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ); Faculdade de Ciências Médicas; Rio de Janeiro; Rio de Janeiro; Brasil.

Mônica de Cássia Firmida, Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ)

Mestre; Médica; Universidade Federal Fluminense (UFF); Professora assistente da disciplina de Pneumologia da FCM/UERJ e pneumologista pediátrica do Hospital Federal de Bonsucesso (HFB)/Ministério da Saúde; Rio de Janeiro; Rio de Janeiro; Brasil.

Diego Rodrigues Tavares, Universidade Federal do Ceará (UFC)

Doutorando; Universidade Federal do Ceará; Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ); Fortaleza; Ceará; Brasil.

Ana Josiele Ferreira Coutinho, Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ)

Mestranda; Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ); Rio de Janeiro; Rio de Janeiro; Brasil.